top of page
  • michelwajs

Saúde preventiva ajuda a diminuir os gastos com plano de saúde para as empresas?







Um estudo publicado pela Harvard Business Review constatou que pacientes com doenças crônicas representam 50% dos custos no setor de saúde. Em seguida, vêm os episódios agudos, com 35% dos gastos, porém o investimento com medicina preventiva fica em torno de apenas 5 a 14%.


Esse baixo investimento deveria ser maior, pois a medicina preventiva pode ajudar a evitar muitos casos de emergência e salvar muitas vidas, ajudando a evitar episódios agudos, que são o segundo maior custo das operadoras e planos de saúde no Brasil.


E, os planos de saúde ainda representam uma grande fatia dos gastos de uma empresa. Sem campanhas de prevenção e investimento em medicina preventiva, os gastos com uso emergencial do plano de saúde, tornam-se ainda maiores, gerando uma taxa de sinistralidade alta, algo que pode encarecer ainda mais o gasto da empresa com planos de saúde.


Para ajudar na gestão de saúde da sua empresa, trouxemos algumas considerações para levantar uma discussão sobre a importância de se investir em cuidados preventivos.


Exemplos de casos de sucesso com medicina preventiva

Um exemplo bem simples e que coloca em evidência a diferença entre medicina preventiva e medicina curativa (que está focada em remediar as doenças) está em tratamentos de câncer.


Especialistas em oncologia atestam que: ao detectar tumores e lesões cancerígenos logo no início pode ajudar a resolver 95% dos casos de câncer sem envolver tratamentos mais custosos, como quimioterapia, radioterapia e imunoterapia.


E nem precisamos de um quadro tão dramático como o câncer, a Universidade do Texas realizou estudos e previsões e constatou que é possível economizar até US$4,4 bilhões por ano, quando check-ups regulares e medidas de prevenção são tomadas, ao invés de tratamentos de emergência.


O que pode ser feito dentro da empresa?


Ao mesmo tempo que entendemos mais sobre a importância da medicina preventiva e que o ditado “é melhor prevenir do que remediar” não poderia estar mais correto, o fato é que a população brasileira, em geral, não tem o hábito de se prevenir. No entanto, ações para ajudar a instaurar esse costume podem ser realizadas. Confira algumas dicas abaixo:


1 - Incentive a realização de exames preventivos


Explique para seus colaboradores a importância de fazer exames preventivos e de detectar os problemas rapidamente. O diagnóstico precoce das doenças permite um tratamento muito mais assertivo e as chances de cura são muito maiores do que descobrir o problema de maneira tardia.


E, além disso, os gastos com exames e check-ups periódicos são muito menores do que para tratar grandes problemas e tratamentos emergenciais.


2 - Crie campanhas de conscientização sobre enfermidades


Existem diversas campanhas governamentais, campanhas nacionais e até mesmo aquelas que rodam o mundo inteiro para falar sobre um assunto. E, até mesmo a própria empresa pode criar sua própria campanha particular.


Para engajar seus colaboradores nessas campanhas e realmente prender a atenção deles, você pode oferecer recompensas para quem fizer os exames ou tomarem as vacinas, por exemplo.


3 - Incentive acompanhamento para pacientes crônicos


Também é importante adotar ações de prevenção secundária, que ocorrem em situações nas quais o processo de doença já está instaurado. Nesse caso, a intenção é impedir que o quadro se agrave. Por isso, é importante saber quem são os pacientes crônicos que fazem parte da equipe, qual a enfermidade e entender como eles podem fazer acompanhamento.


Dessa maneira, você pode criar ações específicas para incentivar que eles sempre estejam com as visitas ao médico marcadas, exames atualizados e outros fatores que sejam importantes para o colaborador estar bem.


Pequenas ações que podem ser facilmente incorporadas no dia a dia da sua gestão de saúde e fazem muita diferença! Além disso, ter um parceiro que te ajude a colocar essas ações em prática, como a Proativa fez em diversos cases que você pode ver aqui.


Para mais dicas como essas e mais conteúdo interessante sobre gestão de saúde, assine nossa newsletter e siga nossas redes sociais.

14 visualizações0 comentário

Commenti


bottom of page