top of page
  • michelwajs

Saúde ocupacional: o que é e tudo que você precisa saber sobre o assunto!




O colaborador da empresa é um dos recursos mais importantes da empresa. Afinal, sem o colaborador para produzir e oferecer o produto/serviço para o consumidor, a empresa não consegue obter lucro e os resultados esperados. Por isso, as empresas têm se preocupado cada vez mais em garantir o bem-estar e qualidade de vida dentro do local de trabalho para os profissionais que trabalham na empresa.

Mas, para começar a promover essa iniciativa dentro da empresa, há um conceito imprescindível que o gestor de RH e a equipe devem conhecer: saúde ocupacional. Já usamos o termo por aqui algumas vezes, mas nunca falamos exatamente sobre o que é saúde ocupacional e o que abrange essa ideia de saúde dentro do local de trabalho. E, mais importante, quais são os benefícios de se investir nela.


O que é saúde ocupacional?


O recurso mais precioso de uma empresa está em seu colaborador e há uma crescente tendência no mercado de investir em benefícios e campanhas para incentivar que os profissionais cuidem mais de si. Mas, mais do que isso, criar um ambiente agradável e seguro dentro do local de trabalho, para que os profissionais se sintam mais motivados, saibam que podem compartilhar suas ideias e não se sintam hostilizados ou estressados além do normal.

Ao observar toda essa movimentação dentro das empresas, criou-se uma área específica dentro da saúde, um setor voltado para o trabalhador, que ajuda a prevenir doenças e outros problemas de saúde que possam vir do trabalho, que ficou conhecido como saúde ocupacional. Essa modalidade é composta por um conjunto de regras que minimizam, eliminam e/ou neutralizam quaisquer ameaças à integridade física, emocional e mental dos colaboradores de uma empresa.

No âmbito físico, a saúde ocupacional é regulamentada pela CLT, por meio de 36 Normas Regulamentadoras (NRs), previstas na Portaria nº 3.214. Além disso, é fiscalizada por programas governamentais, como o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA) e o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional (PCMSO). E, esses programas, são fiscalizados pela Secretaria do Trabalho, para garantir que as empresas estão seguindo as normas corretamente e adotando as medidas necessárias.

No entanto, de acordo com o Ministério da Saúde, os transtornos de saúde mental tornaram-se a terceira maior causa de afastamento dos colaboradores de empresas. E, com a pandemia, esses problemas, como: Síndrome de Burnout, depressão, ansiedade, estresse, entre outros. Com isso, as empresas passam cada vez mais a incluir ações de promoção de saúde mental e tornando a saúde psicológica um tema dentro das pautas de saúde ocupacional.


Os perigos de não investir em saúde ocupacional


Empresas que ainda não estão investindo em programas de saúde no ambiente de trabalho e prevenção de acidentes, deveriam começar imediatamente. Isto é, porque a saúde e o bem-estar no ambiente profissional é um direito do colaborador, garantido pelo Ministério do Trabalho brasileiro. Por isso, não investir em saúde ocupacional pode causar grandes problemas jurídicos para a empresa. Aqui estão alguns exemplos:


Rescisão indireta

Caso um colaborador aponte para o Ministério do Trabalho que as medidas de saúde e segurança não estão sendo cumpridas e isso se comprove por meio da fiscalização, a lei demanda o rompimento do contrato de trabalho e a empresa deve pagar ao profissional todas as verbas rescisórias, como férias, aviso prévio, saldo de salário, décimo terceiro e multa de 40% sobre o FGTS.


Ato de indenização por dano material

Caso um colaborador tenha, devido à jornada de trabalho, um problema como uma Lesão por Esforço Repetitivo (LER), cabe à empresa pagar todas as despesas hospitalares e bonificações pelo período que o profissional teve que permanecer afastado, entre outros possíveis gastos.


Ato de indenização por dano moral

Nesses casos, o dano moral corresponde aos prejuízos não materiais que o colaborador sofre, então danos à sua honra, imagem, estética, nome e saúde mental. Exemplos mais comuns são casos de assédio moral, que geram sequelas psicológicas na vítima e exige uma reparação da empresa, que geralmente vem por meio de uma compensação financeira.


Punições administrativas

Esse tipo de punição ocorre quando uma empresa falha perante a fiscalização de um órgão governamental por não seguir as normas impostas pelo Ministério do Trabalho. São várias modalidades de multa, podendo chegar até a suspensão das atividades da empresa.

Além de problemas de natureza jurídica, a empresa perde também com os colaboradores que ficam mais propensos a sofrer um acidente de trabalho, desmotivados e não produzem em toda sua capacidade, causando uma perda de lucros como um todo. Mas, para deixar mais claro as vantagens de investir na saúde ocupacional, separamos os benefícios que sua empresa ganha.


As vantagens de investir em saúde ocupacional


Um ambiente de trabalho saudável e equilibrado traz uma série de vantagens para os colaboradores que ali trabalham. Confira os principais benefícios de investir nesses cuidados!


Redução e/ou eliminação de acidentes de trabalho


Aqueles que investem em campanhas informativas, em equipamentos de proteção individual e promovem exames periódicos na equipe, conseguem reduzir drasticamente – e até mesmo – eliminar completamente os acidentes de trabalho dentro da empresa.


Redução de custos jurídicos e de sinistralidade


À princípio, pode parecer que não, pois iniciar um projeto de saúde ocupacional na sua empresa é um investimento de custo mais elevado, mas a médio e longo prazo, você verá que vale muito a pena. Por dois principais motivos:

1. A empresa gasta menos com licenças médicas, indenizações e multas concedidas pela justiça em caso de acidentes;

2. Com menos colaboradores se acidentando ou tirando licenças, você conta com sua equipe completa funcionando, menos interrupções de trabalho e as taxas de absenteísmo caem drasticamente.

Além disso, evita-se muito o risco com multas e processos trabalhistas, que podem trazer uma má reputação para a empresa, prejudicando negócios e diminuindo custos com as multas.


Construção de uma imagem corporativa positiva


Investindo em saúde ocupacional, a empresa passa a ser vista de uma forma mais positiva e pode melhorar sua imagem perante o mercado, ganhando mais respeito dos clientes, dos colaboradores e de possíveis candidatos às posições dentro da empresa.

Isso faz com que o posicionamento da sua empresa dentro do seu segmento fique muito vantajoso e pode transformar a empresa em uma referência e autoridade. Com isso, virando a melhor opção de negócios.


Equipe mais produtiva e motivada


Além de tudo que citamos acima, também há o fator da satisfação dos colaboradores. O ambiente seguro e saudável reforça o sentimento de pertencimento dos profissionais e orgulho de fazer parte da empresa. Atuar em uma companhia que se importa com o bem-estar de todos é muito importante.

E, ainda, quando não há riscos ocupacionais, o trabalhador consegue ficar mais motivado e focado em suas funções, pois encontra menos dificuldades para realizar suas tarefas. Consequentemente, o resultado é muito mais positivo e o aproveitamento é muito mais vantajoso.

Com todas essas vantagens, fica óbvio que esse investimento vale a pena e traz retornos imensuráveis no longo prazo. E aí, sua empresa já investe em saúde ocupacional? Se não, conte com a Proativa para começar a cuidar dos seus colaboradores. Entre em contato conosco e conheça todas as formas como podemos te ajudar a iniciar o seu projeto!

11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page